Cilada do amor

Descrição

Este fragmento caligráfico inclui uma série de versos poéticos escritos na diagonal, horizontal e vertical em painéis separados com papel bege e dourado. Dois painéis horizontais dourados na parte superior e inferior incluem os seguintes bayts (versos): “Seu corpo que está dentro da (sua) camiseta, / ‘É único, e não tem igual’; que corpo é!”. Aproveitando o potencial simbólico da expressão árabe para proclamar a unidade de Deus, “Ele é único e não tem companheiro”, o poema descreve a beleza divina do ser amado. No painel de texto principal, um ruba‘i (quarteto) escrito na diagonal em caligrafia nasta‘liq grande e preta descreve a humilhação da paixão indomada do amor: “Tu vieste cavalgando e caçou meu coração e meu corpo para si / Cortou a corda da razão e atou-a na paixão do cavalo / Eu estava escondendo meu choro no meu manto, (e) de repente tu passaste embriagado (de amor) / Caí em desgraça; eu com um manto molhado e centenas de outros com manto(s) limpo(s)”. Na parte dourada no canto inferior esquerdo do painel de texto principal há a assinatura de uma pessoa chamada Muhyi, que afirma ser o autor do texto e pede perdão por seus pecados. Muhyi pode ser identificado tanto como Muhyi al-Din al-Khurasani ou Mawlana Muhyi, ativo por volta de 1550 a 1600. É provável, portanto, que este fragmento tenha feito parte de um muraqqa‘ (álbum) de caligrafias produzido durante o período safávida no Irã.

Última Atualização: 30 de setembro de 2016