“Sarloh” (frontispício) iluminado

Descrição

Este frontispício iluminado de página dupla fazia a abertura de um texto que nunca foi transcrito. Ele foi provavelmente produzido para acompanhar um épico poético persa, como o Khamsah (Quinteto) de Nizami ou o Shāhnāmah (Livro dos Reis), de Firdawsi. Também é possível que o frontispício tenha servido de moldura para as páginas introdutórias de um texto histórico ou tratado exegético. O layout não se enquadra na composição do início de um Alcorão, que normalmente inclui um medalhão central usado para o primeiro capítulo intitulado al-Fatiha (A abertura). A iluminura encontrada aqui se chama sarlawh ou sarloh, que literalmente significa um quadro ou painel no topo de uma página. O painel decorativo na parte superior do lado direito do fólio é ostensivamente ornamentado com remates entrelaçados e arabescos geométricos, com tons de base que alternam entre azul, dourado e vermelho. Logo abaixo do sarloh há uma cártula retangular dourada deixada em branco, mas originalmente incluída para registrar o título da obra. Margens com videiras de folhas e flores contornam os fólios; seus tons rosa-claro e azuis dão à composição uma qualidade cintilante. Tal iluminura, com sua combinação de vermelhos e azuis, bem como os tons azuis e rosa mais leves, aparece em manuscritos persas do século XVIII. Ao contrário de desenhos anteriormente iluminados, dominados por tons azuis-escuros e pretos, a paleta dessa peça é mais leve e revela algumas das inovações nas cores em frontispícios iluminados após o declínio do estilo timúrida.

Última Atualização: 30 de setembro de 2016