Capítulos 1 e 114 do Alcorão

Descrição

Este fragmento caligráfico foi produzido numa fina escrita shikastah (literalmente, “quebrada”), e inclui um bismillah (em nome de Deus) inicial e as suratas (capítulos) um e 114 do Alcorão. O primeiro capítulo do Alcorão, intitulado al-Fatihah (A abertura), aparece no topo. Ele diz: “Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso. / Louvado seja Deus, Senhor do Universo; / O Clemente, O Misericordioso; / Soberano do Dia do Juízo. / Só a Ti adoramos e só a Ti imploramos ajuda. / Guia-nos à senda reta, / À senda dos que agraciastes, não às dos abominados, nem às dos extraviados”. Abaixo da Fatihah há um dos capítulos mais curtos do Alcorão, intitulado Surat al-Nas (Humanidade). Ele louva a Deus como o Malak al-Nas (Senhor da humanidade) e como o Protetor contra Satanás, al-waswas (literalmente, o “Sussurrador”): “Diga: Amparo-me no senhor dos humanos, / O Rei dos humanos, / O Deus dos humanos, / Contra o mal do sussurro do malfeitor, / Que sussurra aos corações dos humanos, entre gênios e humanos”. Esses dois capítulos do Alcorão aparecem juntos aqui provavelmente porque são curtos e facilmente memorizados e recitados em voz alta. É bem incomum, no entanto, encontrar versos do Alcorão escritos em shikastah, uma escrita muito fluida inventada na Pérsia (Irã) pelo calígrafo do século XVIII Darvish ʻAbd al-Majid al-Taliqani. Durante os séculos XVIII e XIX, os Alcorões eram geralmente escritos em naskh ou nasta‘liq, uma vez que essas escritas eram mais legíveis do que a shikastah. Por essa razão, este fragmento em especial se destaca como uma rara prova de que alguns ayats do Alcorão foram escritos em shikastah no Irã durante os séculos XVIII e XIX.

Última Atualização: 30 de setembro de 2016