Versos do Alcorão

Descrição

Este fragmento caligráfico inclui os versos 17 a 22 do 18º capítulo do Alcorão, intitulado al-Kahf (A caverna). O texto prossegue no verso do fragmento, com os versos 22 a 31. A Sura al-Khaf narra a história dos Companheiros da Caverna, também conhecida como os Dormentes de Éfeso. Estes mártires cristãos foram emparedados em uma caverna próxima a Éfeso durante as perseguições de Dácio, por volta do ano de 250. Eles acordaram no século quinto, durante o reino de Teodósio II, quando o cristianismo estava firmemente estabelecido. Eles caíram novamente no sono e, conforme se diz, não acordarão novamente até o Dia do Julgamento. Esta sura usa a parábola dos Companheiros da Caverna para destacar nossas noções errôneas sobre o tempo e para provar que a fé sempre triunfa sobre a descrença. O texto foi executado em kufi (Estilo Novo I), uma caligrafia típica dos Alcorões produzidos no formato vertical durante os séculos XI e XII. Essa forma simples de caligrafia era popular e amplamente usada. O texto principal, os sinais diacríticos e os traçados foram executados em tinta preta, enquanto os sinais vocálicos foram feitos com tinta vermelha. Sinais ortoépicos (marcadores de pronúncia) como a duplicação de uma tashdid (vogal) e o sukun (silêncio) estão escritos com tinta verde. Faltam muitos marcadores de versos. Os poucos marcadores visíveis consistem em três linhas diagonais paralelas executadas em tinta preta. Na margem esquerda, há uma rodela decorativa em tinta amarela e vermelha, que tem como objetivo marcar o décimo verso. A parte inferior do fólio sofreu danos e foi perdida; e algumas das palavras na primeira linha do texto parecem ter sido reescritas.

Última Atualização: 6 de abril de 2015