Bahram Gur no Pavilhão Amarelo

Descrição

Este texto descreve um episódio do Haft Paykar (Sete tronos), de Niẓāmī Ganjavī (falecido em 1202 ou 1203), o quarto livro de seu Khamsah (Quinteto). Nesta alegoria romântica de amor e frustração, o regente sassânida Bahram Gur (falecido em 438) visita sete pavilhões, um em cada dia da semana. Aqui, Niẓāmī descreve a visita do rei ao gunbad-i zar (pavilhão amarelo) em um Ruz-i yakshamba (domingo), uma anedota representada no verso do fólio. Nesta história, Bahram Gur fica desapontado com suas concubinas e convence uma mulher, que inicialmente resiste a seus avanços, a se casar com ele. O rei é mostrado sentado na parte superior esquerda, cercado por mulheres que lhe oferecem comida e tocam instrumentos musicais. O domo amarelo do pavilhão ultrapassa a margem superior e vários versos que descrevem os eventos emolduram a pintura na parte superior e inferior. Os versos foram executados em caligrafia nasta'liq preta, em quatro colunas separadas por canaletas douradas. Quatro versos no centro do papel foram escritos diagonalmente, antecipando o fim de uma seção e iniciando o conto subsequente sobre o pavilhão amarelo (cujo título aparece em um cabeçalho de capítulo iluminado, na parte central inferior). A página de texto e a pintura no verso do fólio são típicas dos manuscritos persas iluminados de Khamsah de Niẓāmī produzidos durante o período safávida. Várias obras similares foram feitas durante o século XVI em Xiraz, no sudoeste da Pérsia (atual Irã), a fim de serem exportadas para a Turquia otomana e a Índia mogol.

Última Atualização: 29 de abril de 2015