Quadra sobre a piedade divina

Descrição

Este fragmento caligráfico inclui uma ruba'i (quadra em pentâmetro iâmbico), da qual algumas palavras foram perdidas devido a danos causados pela água. O poema começa com uma invocação a Deus como "Ya Malak al-Muluk" (o Rei dos Reis) e, em seguida, louva a clemência divida como uma tempestade torrencial, que permite aos humanos encontrar a fana' (aniquilação) no Divino. O desabrochar espiritual se assemelha ao crescimento de plantas na superfície de uma rocha. Na parte de trás deste fragmento, aparece a atribuição escrita "Mawlana Sultan Mīr ʻAlī", com a finalidade de identificar o calígrafo cujo nome foi perdido ou apagado do reto do fragmento. Se a atribuição for aceita, pode-se presumir que esse trabalho foi executado pelo grande calígrafo persa Mīr ʻAlī Ḥusaynī Haravī (aproximadamente 1476–1543), que exerceu sua atividade na cidade de Herāt (atualmente, no Afeganistão) durante o século XVI, até que foi levado para Bucara (atualmente, no Uzbesquistão) entre 1528 e 1529 pelo governante shaybanida 'Ubaydallah Khan Uzbek. Mīr ʻAlī  foi não apenas um grande calígrafo e criador da escrita Nasta'liq, mas também um poeta por seu próprio mérito. Essas linhas também podem ter sido escritas por ele para um de seus benfeitores, com a finalidade de traçar um paralelo poético entre a onipotência de Deus e a autoridade do governante terreno.

Última Atualização: 30 de setembro de 2016