Versos sobre o valor atribuído

Descrição

Este fragmento caligráfico inclui um poema persa que descreve como bens de luxo, como pedras semipreciosas e peles, estão desprovidos de qualquer valor inerente. Começando com um chamado a huwa al-mu'izz (Deus, o Glorificado), lê-se no verso: “Eu suponho que seu trono seja feito de cristal e jaspe / Qualquer um que tenha olhos sabe que estas são apenas pedras / Que um assento feito com pele de fuinha e arminho (e com) uma flâmula / Para aqueles que se sentam no vime, é apenas pele.” O calígrafo Muhammad Mahdi Husayni afirma que escreveu essas linhas sobre papel não polido no ano de 1252/1836 a 1837 e também pedindo perdão por seus pecados. Conforme ele observa, o papel não é de alta qualidade, assim como não o é o plano de fundo dourado usado para destacar os versos escritos em caligrafia nasta'liq e emoldurados por mosaicos de nuvens. Muhammad Mahdi Husayni permanece desconhecido, mas parece ter sido um calígrafo da escrita nasta'liq em exercício no século XIX no Irã ou na Índia.

Última Atualização: 24 de dezembro de 2013