“Gulistan” de Sa'di

Descrição

Este fragmento inclui o início da obra Gulistan (O Jardim de Rosas) de Sa'di no anverso, bem como a última página da obra no verso. A primeira página inclui o título da obra escrito com tinta branca em um plano de fundo azul decorado com espirais de folhas de cor laranja. O resto do painel iluminado do topo contém flores entrelaçadas e painéis dourados em um plano de fundo azul. Obra didática escrita tanto em prosa quanto em verso, o Gulistan foi composto em 1258 pelo poeta e prosador persa Shaykh Sa'di Shirazi (1213 a 1292, aproximadamente), contemporâneo do famoso poeta Jalāl al-Dīn Rūmī (1207 a 1273). Ela contém várias histórias moralizantes que carregam semelhanças com as fábulas do escritor francês Jean de La Fontaine (1621 a 1695). Nas terras persas, as máximas de Sa'di eram muito valorizadas, e os manuscritos de sua obra eram amplamente copiados e ilustrados. Sa'di observa que compôs o Gulistan para ensinar as regras de conduta da vida tanto aos reis quanto aos dervixes. A obra foi usada como ferramenta de instrução e comentário, conforme testemunham os vários brilhos na margem e as notas escritas com tinta vermelha ou preta e verificação cruzada com uma nota correspondente no texto original. Algumas poucas notas em tinta vermelha na moldura do texto principal também desenvolvem alguns dos termos e expressões: por exemplo, a primeira linha, louvando Deus, é acompanhada de uma pequena nota em vermelho que especifica que Deus é Sahib (senhor) e Malik (rei). O texto principal foi escrito na caligrafia cursiva persa chamada nasta'liq. Ele está posicionado em três colunas, duas das quais estão escritas em posição horizontal e, a terceira, na diagonal. Na parte inferior e superior da terceira coluna com escrita na diagonal, há dois elementos de canto (abas para polegar) decorados com uma vinha dourada e um botão de cor laranja. Este motivo tinha como objetivo preencher o espaço triangular deixado em branco pela intersecção das inscrições na diagonal e na horizontal. Na parte inferior da moldura do texto, há uma impressão de selo quadrada, dificilmente legível. O verso deste fragmento traz a última página do Gulistan. Ao concluir sua obra, Sa'di diz: “Leitor! Para aquele que escreveu este livro, peça a graça; / E permita que também o escriba encontre lugar em suas orações: / Em seguida, ore por aquilo que você mesmo desejar; / Por último, diga uma bênção ao dono. / Pelo auxílio do Rei da Graça, / Chegamos ao fim desta obra”.

Última Atualização: 24 de dezembro de 2013