Painel iluminado e capítulo do Alcorão

Descrição

Este painel retangular iluminado aparece no início de um Alcorão escrito em uma variante antiga da caligrafia naskh, de por volta dos séculos XI e XIII. No verso do fólio aparece al-Fatihah (A abertura), o primeiro capítulo do Alcorão. Páginas ornamentais como esta decoram o início ou o fim dos Alcorães do século IX em diante. Também chamadas de “páginas-tapete”, elas são uma quebra ornamental e estrutural no manuscrito. Painéis retangulares preenchidos com motivos geométricos e com medalhões em formato de folha ou haste em seu traço lateral têm sua origem nos tabulae ansatae (painéis de inscrição) romanos, que eram unidos através de uma ansa (alça). Deste modo, o padrão fornece uma reminiscência visual de placas ou fólios, agrupados em uma unidade ou em um códice, evocando o conceito do Alcorão escrito em tábuas. Ele diz (85:21–22): fi lawhin mahfuz (Este é o glorioso Alcorão, inscrito em uma tábua preservada). Esta página iluminada, em particular, inclui um painel retangular preenchido por quatro polígonos em formato de diamantes que emanam de uma estrela central de quatro pontas. Em cada polígono de diamante aparece uma série de círculos concêntricos destacados com tinta na cor marrom claro. A estrela central de quatro pontas e outros polígonos entrelaçados incluem desenhos florais em um plano de fundo de tom alaranjado. O painel central está emoldurado por uma série de bordas, a primeira delas consistindo em um motivo abstrato entrançado desenhado com tinta dourada. A haste que se projeta sobre a margem esquerda está desenhada em dourado e destacada por uma linha grossa de tinta marrom púrpura. Este fólio inclui a totalidade, com exceção de um verso, da al-Fatihah. (A linha restante aparece em outro fólio, que está na Biblioteca do Congresso). Escrito em caligrafia naskh antiga com todos os sinais vocálicos em tinta preta sobre papel velino, este Alcorão fragmentário pode ter sido produzido no Iraque ou na Síria. Ele antecipa o desenvolvimento da caligrafia cursiva nos mamelucos, que governaram o Egito e a Síria durante os séculos XIV e XV. O título do capítulo aparece no painel retangular do topo, pintado em dourado, e especifica que este é o capítulo Fatihat al-Kitab (A abertura do livro) e que é composto de sete ayat (versos). Uma haste se projeta na margem esquerda a partir do painel retangular mais alto, lembrando a ansa ou haste usada como motivo decorativo no verso do fólio. O painel retangular abaixo do texto está preenchido com um padrão trançado, enquanto a haste da margem está ausente. Em vez dela, um buraco foi feito no papel velino. Os marcadores de versos consistem em rosetas desenhadas com tinta dourada e com círculos vermelhos em seu contorno.

Última Atualização: 6 de abril de 2015