Quetzalcoatl, uma grande divindade do povo cholula

Descrição

O Códice Tovar, atribuído ao jesuíta mexicano Juan de Tovar do século XVI, contém informações detalhadas sobre os ritos e cerimônias dos astecas (também conhecidos como mexicas). O códice é ilustrado com 51 pinturas de página inteira em aquarela. Fortemente influenciado por manuscritos pictográficos do período pré-contato, as pinturas são de qualidade artística excepcional. O manuscrito está dividido em três seções. A primeira seção é uma história das viagens dos astecas antes da chegada dos espanhóis. A segunda seção, uma história ilustrada dos astecas, compõe o corpo principal do manuscrito. A terceira seção contém o calendário Tovar. Esta ilustração da segunda seção retrata Quetzalcoatl, com chapéu cônico, um bico e escudo e capa de penas segurando uma faca curva. Quetzalcoatl (a Serpente Emplumada), um dos principais deuses dos astecas, era um deus da criação, ligado à fertilidade, ressurreição e da chuva em sua manifestação como Ehecatl ou o deus do vento. Havia um grande templo em sua homenagem em Cholula. Ele era muitas vezes identificado com Topiltzin, um legendário e possivelmente histórico rei-sacerdote de Tula na era tolteca, e descrito como tendo pele clara e barba. Quando Hernán Cortés chegou ao México em 1519, o imperador Montezuma II (reinou entre 1502 e 1520) estava convencido de que Cortés era Quetzalcoatl. O desenho da capa do deus, o chapéu e a tanga representam as asas de uma borboleta, símbolo de soldados mortos.

Última Atualização: 26 de outubro de 2012