O templo do deus asteca Huitzilopochtli

Descrição

O Códice Tovar, atribuído ao jesuíta mexicano Juan de Tovar do século XVI, contém informações detalhadas sobre os ritos e cerimônias dos astecas (também conhecidos como mexicas). O códice é ilustrado com 51 pinturas de página inteira em aquarela. Fortemente influenciado por manuscritos pictográficos do período pré-contato, as pinturas são de qualidade artística excepcional. O manuscrito está dividido em três seções. A primeira seção é uma história das viagens dos astecas antes da chegada dos espanhóis. A segunda seção, uma história ilustrada dos astecas, compõe o corpo principal do manuscrito. A terceira seção contém o calendário Tovar. Esta ilustração da segunda seção mostra (à esquerda) um templo ou pirâmide encimado pelas imagens de dois deuses, ladeados por mexicanos nativos. No templo há uma imagem de Huitzilopochtli à direita, e uma imagem de Tlaloc segurando uma serpente turquesa à esquerda. O templo é cercado por um muro de serpentes engolindo as cabeças umas das outras. À direita há um tzompantli (estante asteca de crânios). Huitzilopochtli, cujo nome significa "beija-flor azul à esquerda", era o deus asteca do sol e da guerra. A xiuhcoatl (serpente turquesa ou de fogo) era sua arma mística. Tlaloc, o deus da chuva e da agricultura, era de origem pré-asteca, ou tolteca. A coatepantli (parede feita de serpentes esculpidas) normalmente cerca templos astecas. O tzompantli guardava os crânios das vítimas de sacrifícios. O grande templo de Tenochtitlan foi encimado por dois santuários: o da esquerda, dedicado a Tlaloc e o da direita a Huitzilopochtli.

Última Atualização: 18 de junho de 2015