A batalha de Azcapotzalco

Descrição

O Códice Tovar, atribuído ao jesuíta mexicano Juan de Tovar do século XVI, contém informações detalhadas sobre os ritos e cerimônias dos astecas (também conhecidos como mexicas). O códice é ilustrado com 51 pinturas de página inteira em aquarela. Fortemente influenciado por manuscritos pictográficos do período pré-contato, as pinturas são de qualidade artística excepcional. O manuscrito está dividido em três seções. A primeira seção é uma história das viagens dos astecas antes da chegada dos espanhóis. A segunda seção, uma história ilustrada dos astecas, compõe o corpo principal do manuscrito. A terceira seção contém o calendário Tovar. Esta ilustração da segunda seção retrata a batalha de Azcapotzalco. Dois grupos de soldados são mostrados lutando com maças e escudos de guerra no primeiro plano da imagem. Na extrema esquerda está um guerreiro jaguar, um dos soldados de elite dos astecas, com o glifo de um cacto com flores acima dele. Próximo a ele está uma figura que representa Axayacatl (conhecido pelo glifo de água e terra acima dele). À direita está uma figura em um chapéu cônico e outro guerreiro jaguar. Atrás dos soldados está uma casa com três mulheres que fazem um sinal da misericórdia com as mãos. Outra mulher está preparada para defendê-las. À direita, uma criança é sacrificada por um sacerdote em um templo, enquanto duas vítimas estão mortas no chão. Azcapotzalco, capital dos tepanecas no lago Texcoco, foi o local de uma batalha em 1430 entre Itzcóatl, o quarto imperador asteca (reinou entre 1427 e 1440, aliado a Netzahualcoyotl, um senhor texcocano) e Maxtla (filho de um senhor tepaneca a quem os astecas tinham servido), que havia orquestrado o assassinato do imperador anterior. Após a derrota de Maxtla, as três cidades de Tenochtitlán, Texcoco e Tlacopan formaram o novo império asteca da Tríplice Aliança.

Última Atualização: 18 de junho de 2015