Colina Chapultepec

Descrição

O Códice Tovar, atribuído ao jesuíta mexicano Juan de Tovar do século XVI, contém informações detalhadas sobre os ritos e cerimônias dos astecas (também conhecidos como mexicas). O códice é ilustrado com 51 pinturas de página inteira em aquarela. Fortemente influenciado por manuscritos pictográficos do período pré-contato, as pinturas são de qualidade artística excepcional. O manuscrito está dividido em três seções. A primeira seção é uma história das viagens dos astecas antes da chegada dos espanhóis. A segunda seção, uma história ilustrada dos astecas, compõe o corpo principal do manuscrito. A terceira seção contém o calendário Tovar. Esta ilustração da segunda seção retrata o Cerro de Chapultépec (Colina dos gafanhotos). Um imperador em um trono senta-se diante da colina, que é representada por uma estrada sinuosa e por uma nascente. As características militares mostradas incluem soldados com maças e escudos de guerra de três exércitos, cocares de penas e pele de jaguar. Huitziláihuitl (ou Huitzilihuitl, reinou entre 1395 e 1417), o imperador asteca reconhecível por seu símbolo do beija-flor com penas brancas, senta-se em seu trono à direita. Acima dele estão quatro figuras que representam as quatro tribos ancestrais dos astecas. Três exércitos se convergem para aniquilá-los, os tepanecas de Azcapotzalco, os chalcas (que capturaram e mataram Huitziláihuitl) e os xochimilcas. O chefe de um dos exércitos veste a pele de um jaguar de uma casta de guerreiros e carrega um escudo com o símbolo da Mitla (o centro de cerimônias zapoteca).

Última Atualização: 18 de dezembro de 2013