Izcalli, o renascimento, o 18º mês do calendário solar asteca

Descrição

O Códice Tovar, atribuído ao jesuíta mexicano Juan de Tovar do século XVI, contém informações detalhadas sobre os ritos e cerimônias dos astecas (também conhecidos como mexicas). O códice é ilustrado com 51 pinturas de página inteira em aquarela. Fortemente influenciado por manuscritos pictográficos do período pré-contato, as pinturas são de qualidade artística excepcional. O manuscrito está dividido em três seções. A primeira seção é uma história das viagens dos astecas antes da chegada dos espanhóis. A segunda seção é uma história ilustrada dos astecas. A terceira seção contém o calendário Tovar, que registra um calendário civil asteca com os meses, semanas, dias, letras dominicais e festividades religiosas de um calendário cristão de 365 dias. Nesta ilustração da terceira seção, o símbolo de calli (casa) é mostrado com uma planta florescendo à sua frente. O texto afirma que o europeu ou espanhol vestido de vermelho e segurando um livro serve apenas para mostrar, através de uma linha que se estende do seu dedo até a página ao lado, onde o Ano Novo espanhol começa no calendário. Este mês é chamado de Izcalli (Renascimento). O comentário não menciona Xiuhtecutli, o deus do fogo, cujos ritos eram comemorados durante este mês, e que simboliza a morte do ano velho e a esperança de renovação para o novo ano. Seguindo este mês estavam os cinco dias desafortunados ou vazios do calendário asteca chamados de Nemontemi.

Última Atualização: 26 de outubro de 2012