Tepeihuitl, Festa das colinas, o 13º mês do calendário solar asteca

Descrição

O Códice Tovar, atribuído ao jesuíta mexicano Juan de Tovar do século XVI, contém informações detalhadas sobre os ritos e cerimônias dos astecas (também conhecidos como mexicas). O códice é ilustrado com 51 pinturas de página inteira em aquarela. Fortemente influenciado por manuscritos pictográficos do período pré-contato, as pinturas são de qualidade artística excepcional. O manuscrito está dividido em três seções. A primeira seção é uma história das viagens dos astecas antes da chegada dos espanhóis. A segunda seção é uma história ilustrada dos astecas. A terceira seção contém o calendário Tovar, que registra um calendário civil asteca com os meses, semanas, dias, letras dominicais e festividades religiosas de um calendário cristão de 365 dias. Nesta ilustração da terceira seção, uma cabeça de mulher é mostrada sobre o símbolo de uma montanha. A cabeça usa um cocar com penas verdes e um colar com contas azuis e pingentes de ouro. Acima, há uma cabeça reclinada de uma mulher encimada por uma grande flor e circulada por penas douradas. O texto descreve as cerimônias em homenagem às colinas, cujas representações são adornadas com rostos. Este mês, identificado como o de Lucas o Evangelista, é chamado de Tepeilhuitl (Festa das colinas). Este mês erai dedicado a Tlaloc, o deus da chuva, mas o cocar da cabeça em cima da montanha lembra aquele de Xochiquetzal (Flor de quetzal), deusa da terra, do amor, dos artistas, das mulheres grávidas e da lua, que é às vezes chamada de esposa de Tlaloc. A cabeça reclinada acima, com sua flor, também pode aludir a Xochiquetzal.

Última Atualização: 26 de outubro de 2012