Tozoztontli, festival dos sacrifícios de aves, o terceiro mês do calendário solar asteca

Descrição

O Códice Tovar, atribuído ao jesuíta mexicano Juan de Tovar do século XVI, contém informações detalhadas sobre os ritos e cerimônias dos astecas (também conhecidos como mexicas). O códice é ilustrado com 51 pinturas de página inteira em aquarela. Fortemente influenciado por manuscritos pictográficos do período pré-contato, as pinturas são de qualidade artística excepcional. O manuscrito está dividido em três seções. A primeira seção é uma história das viagens dos astecas antes da chegada dos espanhóis. A segunda seção é uma história ilustrada dos astecas. A terceira seção contém o calendário Tovar, que registra um calendário civil asteca com os meses, semanas, dias, letras dominicais e festividades religiosas de um calendário cristão de 365 dias. Nesta ilustração, da terceira parte, um pássaro de penugem amarela é atravessado por uma adaga de osso. Também são retratados um touro e a lua, assim como um símbolo com muitas folhas. Este mês, identificado como abril, com o símbolo astrológico do touro e conhecido como Tozoztontli (A pequena vigília), comemorava o festival de sacrifícios de aves que ocorria durante este mês. A palavra em náuatle para "amarelo", toz, liga o mês ao pássaro retratado. No canto superior esquerdo, o desenho pode ser interpretado como a túnica de uma divindade do milho, Centeotl, que é frequentemente identificada com o mês seguinte.

Última Atualização: 26 de outubro de 2012