O sacramentário de Drogo

Descrição

O sacramentário era um livro litúrgico utilizado nas orações durante a Alta Idade Média, contendo as orações, prefácios e cânones da missa. Drogo (801-55), bispo de Metz, filho de Carlos Magno e renomado patrono em sua época, tinha uma magnífica cópia do sacramentário feito em Metz, por volta de 845-855. O manuscrito, escrito em pergaminho, é uma obra de vários artistas empregados pela corte imperial. Foi composto em uma escrita latina clara e inclui alguns dos mais belos florões já produzidos em Metz. A iluminura é feita de capitulares ilustradas, arcaturas decorativas e letras douradas, e distingue-se tanto pela sutileza e dinamismo das características e pela delicadeza de suas cores verde-esmeralda, azul-celeste, violeta e roxo quanto pelo gosto pronunciado por plantas ornamentais. A iconografia da iluminação é centrada na vida de Cristo e corresponde às placas de marfim da encadernação. Executadas na mesma época e pela mesma oficina do manuscrito, tanto a placa da frente quanto a placa do verso estão divididas em nove plaquetas esculpidas em relevo. As plaquetas ilustram os principais sacramentos (placa superior) e as cenas da liturgia da igreja (placa inferior). O sacramentário teria sido usado na catedral carolíngia de Metz e constitui um precioso registro das práticas e dos apetrechos litúrgicos utilizados na época. No século XVI, as placas foram colocadas de volta no manuscrito sobre veludo verde e as bordas cobertas com um revestimento de prata adornado com folhas de acanto.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Metz

Idioma

Título no Idioma Original

Sacramentarium. [Sacramentaire dit de Drogon]

Lugar

Outras Palavras-Chave

Tipo de Item

Descrição Física

Pergaminho: 130 páginas; 26,5 x 14,5 centímetros. Encadernação de veludo azul e marfim

Observações

  • O liber sacramentorum inclui quatro seções: O cânone da missa, os principais feriados (temporal e santoral), o ordinário dos santos e as missas votivas, e as listas dos bispos de Metz. As missas seguem o modelo: oratio, secreta, praefatio ad complendum (após a comunhão). Em geral, o texto segue a versão gregoriana, mas inclui alguns acréscimos galicanos e ambrosianos.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 9 de junho de 2017