Tenochtitlán, 1521

Descrição

Este mapa topográfico da Cidade do México e de seus arredores está datado por volta de 1550, cerca de três décadas após a conquista da capital asteca de Tenochtitlán por Hernán Cortés, em 1521. Tenochtitlán foi fundada no século XIV em uma ilha, no lago salgado de Texcoco. Ao ocupar a cidade, os espanhóis derrubaram suas partes centrais e substituiram os templos astecas por edifícios construídos em estilo espanhol, mas deixaram o arruamento praticamente intacto. O mapa mostra os novos edifícios. A catedral (Iglesia Major) encontra-se no centro do mapa, junto à praça onde é hoje a Plaza de la Constitución. Parte da dedicação ao Imperador Carlos V pode ser lida no canto inferior direito, juntamente com partes do nome Santa Cruz, que é a razão pela qual se pensava que o cosmógrafo real de Sevilha, Alfonso de Santa Cruz (1505-1567) tivesse sido o cartógrafo. Pesquisas posteriores indicam que o mapa foi pintado por uma pessoa de Tenochtitlán, ou Cidade do México, provavelmente um asteca com escolaridade europeia. Sabe-se que Santa Cruz nunca visitou o México, e a construção e o conteúdo do mapa sugerem que seu criador estava muito familiarizado com o local e com os seus habitantes. Os símbolos no mapa (cabeças, animais, anéis, estrelas, etc.) representam nomes de lugares em náuatle, a língua dos astecas. O mapa contém informações sobre a vida social e profissional, e sobre animais e plantas, proporcionando tanto uma descrição geográfica quanto um retrato rico da vida cotidiana na Cidade do México do século XVI. A moldura consiste de folhagens ornamentais pintadas em azul sobre um fundo vermelho. As estradas e os canais estão marcados em marrom e azul claro. Como o mapa chegou até a Suécia não se tem conhecimento. Uma teoria é que o linguista e viajante sueco Johan Gabriel Sparwenfeld comprou-o durante sua estada na Espanha, no final do século XVII, e que mais tarde foi doado à Biblioteca da Universidade de Uppsala.

Última Atualização: 27 de abril de 2015