Coletânea de poemas do estúdio Yizhizhai

Descrição

O autor desta obra, Ding Yan (1794-1875), era um nativo de Shanyang (parte da atual Huai'an, província de Jiangsu), um estudioso de talento e um funcionário do governo. Depois de alcançar o posto de ju ren, como um candidato bem-sucedido no exame de nível provincial, o autor da obra não conseguiu obter seu jin shi (doutorado), e recusou compromissos oficiais de menor importância. Retornou em seguida para Shanyang, onde passou a participar ativamente dos problemas locais. Em 1842 ele conduziu o corpo local de civis na defesa de sua cidade, confrontou a frota britânica que avançava pelo rio Yangtzé e encarregou-se do reparo dos muros da cidade. Em 1843 ele foi agraciado com o título de secretário do Grande Secretariado. Dez anos depois ele voltou a defender sua cidade, desta vez contra os rebeldes Taiping. Em 1853 ele foi acusado de cometer erros na organização da milícia e foi condenado e banido, porém liberado mais tarde. Em 1861, Ding foi formalmente nomeado, por decreto imperial, pelos seus esforços na defesa de Shanyang, para servir na comissão de formação do corpo de civis no norte de Jiangsu e finalmente recebeu o título de oficial da segunda ordem. Ding era altruísta e contribuiu para o alívio da fome e para a dragagem de canais. Ele defendeu a emissão de papel-moeda e a proibição rigorosa do ópio. Ding dirigiu também várias academias locais e foi um dos principais compiladores das histórias locais de Shanyang. Ding era especialmente conhecido pela sua erudição e realizações literárias. Cerca de 50 obras atribuídas a ele são conhecidas, das quais 23 formaram uma coletânea em 1862, sob o título de Yi zhi zhai cong shu (Coletânea de obras do estúdio Yizhizhai). Seus poemas e ensaios curtos em 16 juan, intitulados Yi zhi zhai shi wen ji (Coletânea de poemas e ensaios do estúdio Yizhizhai), nunca foram impressos. Estudioso e arqueólogo, Luo Zhenyu (1866-1940) adquiriu uma cópia manuscrita da obra desse autor de descendentes de Ding, da qual em 1915 ele selecionou e imprimiu um juan de ensaios de Ding e um juan de seus poemas. A edição da Biblioteca do Congresso é um manuscrito Qing que manteve o título original. Possui diversos prefácios, poemas e inscrições feitos por vários estudiosos e intelectuais. Entre eles estão o próprio prefácio de Ding (datado de 1832) e os de Zhou Ji (datado de 1836) e Dashi Sheng (1824), poemas de Pan Deyu (1828) e Gui Wang (1831), bem como inscrições de Zhu Qi (1844) e Huang Juezi (1836). Marcas manuscritas indicam também que talvez tenham sido feitas pelo próprio Ding Yan.

Última Atualização: 29 de setembro de 2014