Interpretações de princípios astronômicos emitidas pela ordem imperial

Descrição

Compilada por ordem do imperador Qing Qianlong (reinou entre 1736 e 1795), esta obra de 80 juan, em 32 volumes, nunca foi impressa. Ela possui um guia editorial no início, mas não prefácios ou posfácios. A primeira entrada no guia editorial declara que é necessário ter conhecimento sobre astronomia, alternação do sol e da lua e as cinco constelações, para não ser mal orientado pelos alquimistas e suas alegações sobre desastres e fortunas. Esta declaração sugere que a obra pode ter sido um produto de missionários católicos que desejavam usar a ciência para desafiar a superstição. A redação do texto também pode indicar a autoria de um missionário católico. A razão pela qual a obra nunca foi divulgada ou impressa pode estar relacionada à luta entre os missionários e os alquimistas. Na época do reinado de Kangxi e Yongzheng (1662-1735), os alquimistas chineses lutaram veementemente contra a publicação do Li xiang kao cheng (Compêndio de ciência calendárica e astronomia), um calendário impresso em 1723. O compêndio foi compilado pelos chineses, mas com base em teorias ocidentais e nos métodos e nas tabelas de cálculo dos missionários. Em contra-ataque, os alquimistas publicaram um livro em 1740 sobre ocultismo e geomancia, denominado Xie ji ban fang shu (Tratado sobre os tempos de harmonização e distinção das direções). Os missionários católicos podem ter iniciado esta obra como oposição à publicação anterior.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

欽定天文正義

Tipo de Item

Descrição Física

80 juan, 32 volumes

Observações

  • Cópia manuscrita

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 11 de maio de 2015