A guerra das munições. Como a Grã-Bretanha mobilizou suas fábricas

Descrição

Este pôster de 1917, mostrando 14 vinhetas da indústria de armamentos e das forças armadas britânicas, fornece informações detalhadas sobre a mobilização de recursos humanos e industriais por parte da Grã-Bretanha durante a Primeira Guerra mundial. Ele observa que “há 2 milhões e meio de pessoas envolvidas nos trabalhos do governo de comércio de munição, das quais quase meio milhão são mulheres”. São dados números a respeito dos enormes aumentos na produção de bombas, metralhadoras, munição e armas pesadas, bem como no número do arsenal nacional. O pôster também fornece informações sobre o crescimento e o tamanho das forças armadas: “Em 1914, o exército britânico tinha 275.000 pessaos. Desde o início da guerra, mais de cinco milhões de homens foram alistados nas forças da Coroa”. A respeito da marinha, ele afirma: “Equipar um marinheiro leva quase oito vezes mais trabalhadores do que é necessário para fornecer a um soldado toda a munição de que ele precisa. Desde o início da guerra, o pessoal da Marinha Britânica aumentou de 146.000 para 350.000”. O pôster celebra especificamente o “vasto exército industrial” do país, afirmando: “Estas fábricas da Grã-Bretanha estão em guerra, e elas não verão trégua até que a vitória esteja garantida”.

Última Atualização: 10 de fevereiro de 2014