Nós devemos lutar até o fim!

Descrição

Este cartaz da Primeira Guerra Mundial mostra homens alemães trabalhando em um campo. Um deles está sendo ameaçado por um soldado africano enquanto um oficial francês os observa. O texto na parte inferior do cartaz proclama que se a Grã-Bretanha e a França ganhassem a guerra, os alemães perderiam não apenas sua propriedade e prosperidade, como sua liberdade pessoal. O texto segue adiante, explicando que os senadores franceses disseram no parlamento que os alemães trabalhariam como escravos após a guerra. A Alemanha, conclui o cartaz, tem de lutar até o último momento, já que tudo estava em jogo: a independência nacional; o direito ao trabalho, ao progresso e à felicidade; e “o futuro de nossas crianças”. Da mesma forma como ocorreu em outros países, a propaganda na Alemanha exortava a população a continuar lutando, mesmo após sofrer milhões de baixas, com o argumento de que perder a guerra implicaria um destino ainda pior. A França e a Grã-Bretanha possuíam grandes impérios ultramarinos e puderam importar tropas da África e da Ásia para lutar no fronte ocidental. Os alemães, que não tinham um império comparável e dependiam inteiramente de seu próprio pessoal, ressentiam amargamente o uso de soldados não-europeus. Imagens racistas como a que é usada neste cartaz tanto refletiam quanto alimentavam esse ressentimento. Este cartaz é da Rehse-Archiv für Zeitgeschichte und Publizistik, uma coleção de cartazes, panfletos e todos os tipos de propaganda alemã reunida em Munique por Friedrich J. M. Rehse (1870 a 1952). A coleção foi confiscada pelas autoridades da inteligência militar dos EUA em 1945 a 1946, depois da derrota da Alemanha na II Guerra Mundial, e transferida para a Biblioteca do Congresso.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Munique

Idioma

Título no Idioma Original

Zum Kampf auf's Letzte sind wir herausgefordert!

Tipo de Item

Descrição Física

1 exemplar (cartaz): litografia colorida; 131 x 96 centímetros

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 10 de fevereiro de 2014