Sanogawa Ichimatsu III no Papel da Cortesã Onnayo de Gion e Ichikawa Tomieimon no Papel de Kanisaka Tōma

Descrição

O termo ukiyo-e, literalmente "retratos do mundo flutuante" se refere a um gênero de obra de arte japonesa no período Edo (1600-1868). Como a frase "mundo flutuante" sugere, com suas raízes na visão efêmera do Budismo, ukiyo-e capturava a dinâmica fugaz da vida urbana contemporânea. Ao mesmo tempo que eram acessíveis e satisfaziam os gostos das "pessoas comuns", os detalhes artístico e técnico dessas pinturas mostram uma sofisticação notável. Seus temas vão de retratos de cortesãs e atores à literatura clássica. Esta gravura é uma reprodução moderna de um antigo trabalho de Toshusai Sharaku, um artista que produziu gravuras de atores com um design radical durante um curto período de dez meses em 1794 e 1795. A identidade e a existência de Sharaku permanecem um mistério, pois não há registros relacionados com o resto de sua vida. Ele era único na interpretação honesta de seus modelos, que revelava a interação entre o ator em seu papel como um personagem de ficção e como um indivíduo. A imagem é baseada em um kabuki-kyōgen (peça de comédia) popular. Os dois personagens aparentemente díspares são magistralmente conectados pela oposição, expressada em seus traços faciais, como a linha de rosto, olhos e sobrancelhas. A imagem resultante contrasta o comportamento orgulhoso e glamouroso da cortesã Onnayo com a aparência mesquinha de seu oponente, uma personagem secundária na peça.

Última Atualização: 25 de setembro de 2015