Casal de Tagasago na Cavidade de um Pinheiro

Descrição

Um novo e menos formal estilo de poesia chamado haikai (verso vinculado) difundiu-se entre os citadinos de Kyoto, Osaka e Edo no Japão do século 17. Haikai foi também uma atividade bem social, com as festas de versos vinculados realizadas em ocasiões regulares em casas ou em restaurantes. Tais encontros poéticos ajudaram a dar origem às gravuras privadamente encomendadas, chamadas surimono (gravuras), que casavam imagens com versos representativos do círculo. Ambos eram normalmente destinados a levar o selo do “conhecimento interior" para um público culto e bem educado. Os surimonos não eram destinados à venda, mas sim como presentes. Desta forma, os artistas, os gravadores e os impressores os produziam com extremo cuidado. Os produtos finais estão, em muitos casos, entre os melhores exemplos da arte da xilogravura. Esta cópia feita por um mestre do ukiyo-e, Katsushika Hokusai (1760-1849), faz alusão ao conto popular mítico de um pinheiro no santuário de Takasago. Dizia-se que a árvore teria se dividido em dois grandes troncos a partir de uma raiz, que depois foram transformados em duas divindades da criação na fé xintoísta, Izanagi e Izanami. Os dois pregaram as formas de se atingir um casamento próspero e, posteriormente, a árvore passou a simbolizar a união entre os casais.

Última Atualização: 18 de setembro de 2015