O vislumbre de Al Māridinī na explicação do tratado por al Yāsamīn

Descrição

A tradição matemática que floresceu na África do Norte e na Andaluzia durante a Idade Média não passou pelo mesmo declínio que muitos estudiosos afirmam ter ocorrido com as ciências após a primeira metade do século XIII. A presente obra apoia esta ideia. O manuscrito é uma cópia muito elegante de um texto matemático de Badr al Din Muhammad ibn Muḥammad ibn al Ġazal, mais conhecido como Sibṭ al Māridīnī ("o filho da filha de al Māridīnī") pelo nome de seu famoso avô materno, que também era matemático. O conhecimento matemático de Sibṭ al Māridīnī' (adquirido durante seus muitos anos de estudo e durante sua atividade como muwaqqit, ou guardião do tempo, na mesquita de Al Azhar, no Cairo) é aplicado aqui, aos versos de um poema matemático do final do século XII, composto pelo matemático magrebe al Yāsamīn. O copista do manuscrito estabeleceu uma distinção gráfica clara entre o texto do poema de al Yāsamīn e comentário de al Māridīnī: os versos do primeiro estão destacados em tinta vermelha, enquanto o último discorre por 11 páginas de fólio, no qual é encontrada uma definição dos elementos da álgebra conhecidos na época (raíz, número e sequência); a descrição das seis equações canônicas já identificadas por al Ḫwārizmī durante o século IX, e um tratamento das operações algébricas de restauração, comparação e multiplicação e divisão de monômios.

Última Atualização: 4 de janeiro de 2016