Comentários de al-Hifnī sobre o Yāsamīnīyya

Descrição

A tradição matemática que se desenvolveu no Norte da África durante a Idade Média continuou a atrair o interesse de estudiosos nos séculos subsequentes. Os tratados medievais foram amplamente lidos e objetos de comentários. Em muitos casos, esses comentários se tornaram objeto de outras obras—ou metacomentários—destinados a clarificar o assunto dos tratados originais. Este manuscrito é um exemplo desse fenômeno. No século XII, o matemático norte-africano ‘Abdallāh ibn Hajjāj ibn al-Yāsamīn resumiu seus conhecimentos matemáticos em um tratado conhecido como Yāsamīnīyya (O tratado de al-Yāsamīn). Por volta do final do século XV, os versos de al-Yāsamīn foram objeto de um comentário em prosa, Lum‘a al-Mardinīyya fī Šarh al-Yāsamīnīyya (O vislumbre de Al-Mardinī na explicação do tratado de al-Yāsamīn), de Muhammad ibn Muhammad ibn Ahmad Abū ‘Abdallāh Badr al-Dīn, também conhecido como Sibt al-Mārdīnī. Sua principal contribuição foi a descrição da periodicidade das frações sexagesimais. O interesse por este tratado ainda estava vivo no século XVIII, quando o metacomentário preservado neste manuscrito apareceu. Seu autor, Muhammad ibn Sālim al-Hifnī, nasceu em 1689–1690 em uma família muito humilde, na província egípcia de Šarqiyya. Ele se mudou para o Cairo no início da adolescência, onde trabalhou como copista de manuscritos, até que um benfeitor lhe permitiu dedicar-se completamente aos estudos religiosos e jurídicos. Sua carreira como jurista da escola Šāfī‘ī e como membro ativo da ordem sufi do Khalwatiyya levou-o a uma das posições de maior prestígio intelectual no mundo islâmico: ele foi nomeado chefe da Universidade de Al-Azhar no Cairo em 1757 e permaneceu nessa função até a sua morte em 1767–1768.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

حآشية الحفني على اليآسمينية

Tipo de Item

Descrição Física

14 folhas (27 linhas), encadernado : papel; 19 x 13 centímetros

Observações

  • Papel: creme amarelado, com marcas d'água, com bordas não aparadas. Folhas soltas da encadernação. Manchas escuras em algumas páginas. Palavras de ordem nos retos; notas marginais. Escrita naskhi. Encadernação: papelão moderno coberto com tecido; lombada em couro.

Coleção

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 18 de setembro de 2015