O desabrochar das reflexões sobre as pedras preciosas

Descrição

Azhār al-Afkār fī Jawāhir al-Ahjār (O desabrochar das reflexões sobre pedras preciosas) é considerado o tratado mais completo e detalhado sobre as pedras e suas propriedades da Idade Média. Os lapidários, ou tratados inteiramente dedicados à discussão sobre pedras preciosas e suas características, podem ser atribuídos à Grécia antiga. Plínio, em sua Naturalis Historia (História natual), menciona pelo menos 20 autores como fontes de seu conhecimento sobre pedras ainda que, das obras citadas por ele, somente o tratado Sobre pedras de Teofrasto (por volta de 371-287 a.C.) tenha sobrevivido. O tratado de Teofrasto, juntamente com o pseudo-aristotélico De mineralibus (Sobre minerais) e as passagens sobre as pedras em obras de Galeno, Discórides, pseudo-Balinus, Al-Kindi, e Al-Farabi constituem as principais fontes da matéria discutida neste manuscrito. Pouco se sabe sobre seu autor, Al-Tīfāšī (por volta de 1184–1253), além de suas origens argelinas e de que compilou uma antologia de versos árabes e anedotas de conteúdo sexual e erótico. Al-Tīfāšī discorre sobre 25 pedras, dedicando um capítulo para cada uma. Cada capítulo abre com uma discussão etimológica do nome da pedra, que é seguida por uma descrição dos fatores que causam a sua formação, a localização das principais minas em que ela foi encontrada e uma análise das suas principais propriedades físicas, incluindo a sua dureza. Ele, então, fornece uma lista de usos médicos e mágicos da pedra e discute o seu valor e preço no mercado, levando em conta diferentes graus de pureza e as propriedades óticas das pedras disponíveis para venda na sua época.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

كتاب أزهار الافكار في جواهر الاحجار

Tipo de Item

Descrição Física

62 folhas (17 linhas), encadernado: 14 x 8 centímetros

Observações

  • Papel: creme amarelado, marcas d'água, varia em espessura. Folhas soltas da lombada. Vermelho e preto na página de rosto, o texto está principalmente em preto, com os títulos dos capítulos em vermelho. Notas marginais por diferentes mãos. Palavras de ordem nos retos. Escrita naskhi. Encadernação: papelão antigo coberto com papel decorativo europeu, lombada em couro.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 29 de agosto de 2017