O Largo do Palácio de Inverno e a Coluna de Alexandre, São Petersburgo, Rússia

Descrição

Esta impressão fotocrômica do Palácio de Inverno e da Coluna de Alexandre, em São Petersburgo, é parte de "Vistas da Arquitetura e de Outros Locais, Principalmente na Polônia, Rússia e Ucrânia", do catálogo da Detroit Publishing Company (1905). O Palácio de Inverno foi construído entre 1754 e 1762 para a Imperatriz Elizabeth, filha de Pedro, o Grande (1672-1725), e serviu como residência dos czares russos, da década de 1760 até a Revolução de 1917. O edifício em estilo barroco mede mais de 17 mil metros quadrados e se distingue por sua impressionante tonalidade verde, colunas coríntias e emblemas decorativos e figuras relacionadas com o passado da Rússia. O palácio abriga, atualmente, o mundialmente famoso Museu State Hermitage. Em frente ao Palácio de Inverno, no centro da Praça do Palácio, está a Coluna de Alexandre, que homenageia o czar Alexandre I (1777-1825). A coluna foi projetada pelo arquiteto francês Auguste Richard de Montferrand (1786-1858), que também foi o arquiteto da Catedral de Santo Isaac, em São Petersburgo (a maior e a mais alta catedral ortodoxa russa daquela época). A coluna de 550 toneladas métricas é feita de granito vermelho. Um artigo de 1886, na revista Harper's, a descrevia como "o maior monólito dos tempos modernos. . . . É um eixo único de granito vermelho, com 26 metros de altura e 4,30 metros de diâmetro, colocado sob um pedestal monolítico cúbico de 7,60 metros de altura, encimado por um capitel de bronze, acima do qual se eleva um anjo e uma cruz, conferindo-lhe uma altura total de 47 metros".

Data do Assunto

Informação da Publicação

Detroit Publishing Company, Detroit, Michigan

Título no Idioma Original

The Winter Palace Place and Alexander's Column, St. Petersburg, Russia

Tipo de Item

Descrição Física

1 impressão fotomecânica : fotocromo, cor

Observações

  • A Companhia Fotográfica de Detroit foi lançada como uma editora de fotografia na década de 1890 pelo empresário e editor de Detroit William A. Livingstone, Jr., e pelo fotógrafo e editor de fotografia Edwin H. Husher. Eles obtiveram o direito exclusivo de usar o "Fotochromo", o processo suíço de conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas, e imprimi-las por fotolitografia. Este processo inovador foi aplicado na produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda ao mercado americano. A empresa tornou-se a Detroit Publishing Company em 1905.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 14 de julho de 2014