Grande mapa geográfico universal

Descrição

Matteo Ricci nasceu em Macerata, Itália, em 1552. Em 1571, entrou para a Sociedade de Jesus e começou seu noviciato na Faculdade de Roma, onde ele estudou teologia e filosofia, assim como matemática, cosmologia e astronomia. Em 1577, Ricci pediu para ser enviado como missionário para a Ásia. Ele chegou na Goa Portuguesa (atual Índia) em setembro de 1578, onde foi ordenado em julho de 1580. Ele trabalhou em Goa e em Cochin (atual Kochi, Índia) por quatro anos, até que ele foi convocado para se juntar à incipiente Missão Jesuíta na China. Ele chegou em Macao em agosto de 1582 e passou o resto de sua vida na China, vivendo em Zhaoqing, Shaozhou, Nanjing e Pequim. Ele passou seus últimos anos, de 1601-1610, em Pequim, onde ele e seu amigo jesuíta Diego Pantoja foram os primeiros ocidentais a terem permissão para entrar na Cidade Proibida. O método de Ricci para converter os chineses ao Catolicismo foi, em parte, para impressionar estudiosos e funcionários com as realizações científicas e culturais da Europa Cristã. Em sua casa em Zhaoqing, ele colocou um grande mapa do Mundo Ocidental. Os visitantes chineses ficavam impressionados ao ver a Terra como uma esfera e em aprender que o Império Chinês ocupava uma parte relativamente pequena do mundo. Eles pediram a Ricci para traduzir o mapa para o chinês que, então, foi gravado e impresso em 1584. Todas as cópias do mapa de 1584 se perderam, assim como todas as cópias da segunda versão que Ricci fez em Nanjing em 1599. O mapa mostrado aqui é uma das seis cópias da terceira versão do mapa, que Ricci fez em 1602 a pedido de Li Zhizao, um amigo chinês que foi cartógrafo também. A versão de 1602 é o mapa em chinês mais velho a descrever as Américas e a refletir o conhecimento geográfico adquirido pelas viagens Europeias de descobrimento, dos séculos XV e XVI. São mostrados os cinco continentes, Europa, Líbia (África), Ásia, América e rumores de um continente ao sul chamado Magellanica, e os quatro oceanos, Atlântico, Pacífico, Índico e Ártico. Ricci preencheu o mapa com anotaçõs engenhosas em chinês que refletem o estado da informação Ocidental (e desinformação) sobre vários países, naquele tempo. Ele descreveu o Nilo como "o rio mais longo do mundo". Ele corre para o mar por sete meses. Neste país não há nuvens ou chuva durante o ano todo, portanto, os habitantes são especializados em astronomia. Sobre o Canadá ele escreveu: "Os habitantes são gentis e hospitaleiros com os estrangeiros. Em geral, eles fazem suas roupas de peles e são pescadores por profissão. Além de suas notas sobre lugares específicos, o mapa contém informações geográficas e astronômicas de grande exatidão e sofisticação, incluindo o discurso sobre o tamanho e forma da Terra, uma explicação da variação de comprimentos dos dias e das noite, uma tabela mostrando as distâncias dos planetas em relação à Terra e a inserção de mapas de uma pesrpectiva polar (tanto Norte como Sul) incluídos para mostrar que a Terra é redonda.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Pequim, China

Idioma

Título no Idioma Original

坤輿萬國全圖

Lugar

Outras Palavras-Chave

Tipo de Item

Descrição Física

1 mapa em 6 folhas; 167,5 x 371,2 centímetros, folhas 167 x 61,5 centímetros ou menores

Observações

  • Comprado em 2009 pela Fundação James Ford Bell Trust para a Biblioteca James Ford Bell da Universidade de Minnesota.
  • Círculo com escala 1:12,500,000 no Equador. 1⁰ = 250 li; (W 180⁰--E 180⁰/N 90⁰--S 90⁰).

Referências

  1. J. F. Baddeley, “Matteo Ricci’s Chinese World-Maps, 1584-1608,” Geographical Journal 50, number 4 (October 1917).
  2. E. Heawood, "The Relationships of the Ricci Maps," Geographical Journal 50, number 4 (October 1917).
  3. Matteo Ricci and Lionel Giles, "Translations from the Chinese World Map of Father Ricci," Geographical Journal  52, number 6 (December 1918).
  4. Matteo Ricci and Lionel Giles, “Translations from the Chinese World Map of Father Ricci (Continued),” Geographical Journal 53, number 1 (January 1919).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 11 de maio de 2015