Carta a Filócrates

Descrição

Sob a influência do humanismo italiano e de seu tutor e colecionador de livros János Vitez, o Arcebispo de Esztergon, Matias Corvinus da Hungria (1443-1490) desenvolveu uma paixão por livros e pela aprendizagem. Eleito rei da Hungria em 1458, aos 14 anos de idade, Mathias conquistou grande sucesso por suas batalhas contra os turcos otomanos e por seu patrocínio à aprendizagem e à ciência. Ele criou a Bibliotheca Corviniana, na época considerada como uma das melhores bibliotecas da Europa. Após sua morte, e especialmente após a conquista de Buda pelos turcos, em 1541, a biblioteca foi dispersa e grande parte da coleção foi destruída, com os volumes sobreviventes sendo espalhados por toda a Europa. Este códice, um dos oito manuscritos inicialmente na Biblioteca Corvinus e agora preservado na Biblioteca Estatal da Baviera, contém um texto que narra, sob a forma de carta, a lendária história das origens da tradução grega do Pentateuco. Escrito por Aristeas, pseudônimo de um judeu anônimo de Alexandria, o texto foi traduzido por Mattia Palmieri (1423-1583), humanista, político e secretário da Santa Sé, que também compôs um prefácio dirigido ao Papa Paulo II. O manuscrito traz o timbre de Mathias Corvinus e o retrato de Ptolomeu II, que dizem ter encomendado a tradução do Pentateuco em grego. A Coleção Bibliotheca Corviniana foi inscrita no programa Memória do Mundo, da UNESCO, em 2005.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Buda

Idioma

Título no Idioma Original

Epistula ad Philocratem (Lateinische Ãœbersetzung des Mattia Palmieri)

Lugar

Tipo de Item

Descrição Física

II + 81 + I folhas, pergaminho: ilustrações; 17,2 x 12,5 centímetros

Observações

  • Código BSB: Clm 627

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 18 de setembro de 2015