Retrato de Mauma Mollie

Descrição

Mauma, uma escrava da família Partridge, foi transportada da África para a Carolina do Sul em um navio negreiro. Ela foi para o Condado de Jefferson, na Flórida, com John e Eliza Partridge na década de 1830, e foi enfermeira de Frances Weston Partridge. Henry Edward Partridge registrou em seu diário em 1873: "Nós enterramos no ano de 57 ou 58 nossa fiel 'Mauma' Mollie - ela, a qual amamentou quase todas as crianças da família; foi uma amiga, assim como serva fiel à minha Mãe; em cuja cabana, muitas vezes, comíamos a refeição caseira de bacon frito e broa de milho, e onde sempre encontrávamos hospitalidade e simpatia, e a quem amávamos como uma segunda mãe. Negra de pele, mas pura de coração, ela se encontra, sem dúvida, à mão direita do Rei." "Mammies" foram um aspecto central da memória cultural da escravidão no sul da América e da mitologia das relações raciais. Enquanto a imagem mostra um escravo que era amado por uma família que era dona e que na lembrança era considerado um membro da família, não dá nenhuma visão sobre a vida interior de Mollie. Nem o retrato nem a entrada do diário dão a conhecer o juízo que ela fazia sobre a qualidade da sua vida ou sobre sua servidão, ou outros aspectos de sua vida privada, tais como se ela tivera um esposo ou filhos.

Última Atualização: 18 de novembro de 2014