Yogyakarta. Ruínas do templo: detalhes de figuras esculpidas

Descrição

Esta fotografia tirada perto de Jakarta, Indonésia, é parte da Coleção de Frank e Frances Carpenter na Biblioteca do Congresso. Frank G. Carpenter (1855-1924) foi um escritor americano de livros sobre viagens e geografia mundial cujas obras ajudaram a popularizar a antropologia cultural e a geografia dos Estados Unidos nos primeiros anos do século XX. Composta de fotografias tiradas e reunidas por Carpenter e sua filha Frances (1890-1972) para ilustrar seus escritos, a coleção inclui um número estimado em 16.800 fotografias e 7.000 negativos em vidro e filme. Em Java e Índias Orientais; Java, Sumatra, Celebes, as Molucas, Nova Guiné, Bornéu e a Península da Malásia (1923), parte da série Viagens pelo mundo de Carpenter, o autor escreveu: “Eu vi o Partenon de Atenas, o Fórum da Roma antiga, as inúmeras ruínas da Índia e as Pirâmides do Egito, mas em nenhum lugar encontrei nada como o que restou dos antigos templos de Java... O templo mais maravilhoso de todos fica a poucos quilômetros de Djokjakarta. É conhecido como Borobudur, que significa o 'Santuário de muitos budas'. Borobudur é o maior monumento já erguido para Buda. Ele supera os templos de Siam e os Budas gigantes de Bangkok. É mais maravilhoso do que as criações japonesas em bronze e pedra e maior do que qualquer monumento budista da China. Alguns de vocês já viram as Pirâmides. A maior delas é a de Quéops, sua base abrange 13 hectares, diz-se que centenas de milhares de homens trabalharam ali por vinte anos. Se assim for, o Borobudur deve representar o trabalho de mais de meio milhão de homens. Ele não é tão grande quanto a Grande Pirâmide, mas o trabalho sobre ele foi infinitamente maior.”

Última Atualização: 29 de setembro de 2014