Papiro de Johnson

Descrição

Herbários são diretórios de plantas, com sua propriedades e seus usos medicinais. Mais que provavelmente, no princípio os herbários não eram ilustrados, mas no final da Antiguidade adquiriram ilustrações. Este fragmento de uma folha, de um herbário ilustrado do Egito helenístico, mostra uma planta que é, possivelmente, um Symphytum officinale, ou confrei. O herbário é feito de papiro, uma planta que proliferava no vale do Nilo, e o texto está em grego, a língua da ciência em todo o Mediterrâneo Oriental naquela época. O fragmento é, provavelmente, de uma cópia do herbário de Dioscorides de Anazarbus, um médico grego do primeiro século que nasceu na Ásia Menor, cujo trabalho se tornou o texto de base da botânica medieval. O fragmento é tido como o mais antigo exemplo existente de um herbário ilustrado. Não se sabe, ao certo, se este fragmento era originalmente parte de um rolo (formato comum de manuscritos de papiro até o período romano posterior) ou de um códice (a forma de livro com a qual estamos agora familiarizados). A data do fragmento sugere que, provavelmente, era de um códice, assim como o fato de que ele é escrito e iluminado em ambos os lados, o que teria dificultado a consulta em forma de rolo.

Data de Criação

Data do Assunto

Título no Idioma Original

Johnson Papyrus

Tipo de Item

Descrição Física

Fragmento de papiro : 227 × 111 milímetros

Observações

  • Descoberto por J de M Johnson em 1904, em Antinoe, Egito, enquanto trabalhava para o Fundo de Exploração do Egito. Frente. Desenho colorido da planta confrei [Symphitum officinale], seguido por oito linhas de texto em escrita uncial, no lado esquerdo. Verso. Desenho colorido da planta flommos [identidade incerta], seguido por dez linhas de texto em escrita uncial, no lado direito

Instituição

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 11 de abril de 2012