O livro de prova dos segredos da ciência dos pesos e medidas (parte 3)

Descrição

Este manuscrito consiste de uma seção do Kitāb al-burhān fī asrār ‘ilm al-mīzān (Livro de prova dos segredos da ciência dos pesos e medidas) do alquimista persa Aydamur ibn ´Alī ibn Aydamur al-Gildakī (também visto como al-Jaldakī, falecido por volta de 1342). Seu nome indica que ele nasceu em Jaldak, atualmente, Afeganistão. No decorrer de 17 anos, al-Gildakī  viajou para o Iraque, Ásia Menor, África Ocidental, Egito, Iêmen, Hejaz e Síria. Essas viagens são recontadas em outro dos seus trabalhos, Kitāb nihāyat al-ṭalab fī sharḥ kitāb al-muktasab (Os limites da busca com relação à explicação do livro do [conhecimento] adquirido). Al-Gildakī' é considerado um dos últimos extraordinários alquimistas islâmicos. A primeira parte do seu Livro de prova trata em grande parte da relação entre o Criador e o mundo da criação, assim como relações entre planos mais altos e mais baixos de existência em suas várias manifestações. A segunda parte é sobre ‘Alī (genro do Profeta e figura central das tradições esotéricas do Islã) e o filósofo grego Apolônio de Tiana. A terceira parte é um comentário sobre Nihāyat al-ṭalab wa aqṣā ghāyāt al-arab (A busca máxima e o plano mais remoto) do persa Jābir ibn Ḥayyān (entre 737 e 815, aproximadamente). O trabalho também contém informações sobre a relação entre metais e seus planetas correspondentes e outros dados químicos. O presente manuscrito consiste da terceira parte do trabalho de al-Gildakī'. Porém, as primeiras páginas de texto estão faltando. O colofão nos fala a respeito da "conclusão dos escritos desta terceira parte do livro de... Aḥmad ibn Aḥmad ibn Ibrāhīm Jarībāt al-Shāfi‘ī al-Kātib al-Azharī a partir da cópia de Shaykh... Muḥammad ibn Abū al-Khayr al-Mālikī al-Miqātī al-Sharīf." O colofão também indica que o escriba concluiu o manuscrito no 29º dia de Muḥarram, 998 A.H. (9 de dezembro de 1589 d.C.). A primeira página remanescente ostenta o selo do Ministério de Dons Religiosos (awqāf), como item número 828 da biblioteca de Zakiya, identificando, assim, o manuscrito como uma herança do estadista egípcio Ahmad Zaki Pasha (1867–1934).

Última Atualização: 20 de maio de 2015