Tonhalle: Exposição dos trabalhos de prisioneiros de guerra alemães detidos na Suíça

Descrição

Este cartaz anuncia uma exposição de obras de arte dos prisioneiros de guerra alemães detidos em Tonhalle, em Zurique, Suíça, de maio a junho de 1918. O local, a hora de abertura e o valor do ingresso de 20 pfennigs (moeda alemã da época) eram indicados. A exposição tinha o objetivo de beneficiar uma organização da Baviera que assistia prisioneiros de guerra. O cartaz contém a imagem de um soldado alemão que parece perdido em seus pensamentos, sentado à frente do símbolo da Cruz Vermelha. Com base no programa criado pela Cruz Vermelha em 1914 e implementado a partir do início de 1915, prisioneiros seriamente doentes ou feridos tanto das potências Aliadas quanto das do Eixo eram internados na Suíça. Alguns desses prisioneiros, especificamente homens mais velhos e crianças, foram repatriados antes do fim da guerra. Na Suíça, os prisioneiros eram obrigados a trabalhar, e sua alimentação e acomodação eram cobradas dos respectivos governos nacionais. Este cartaz é de Ludwig Hohlwein (1874 a 1949), um artista alemão que produziu milhares de cartazes para anunciantes de propaganda e trabalhos de apoio ao esforço de guerra alemão. Um arquiteto originalmente, Hohlwein era conhecido pelo uso criativo da cor e por seus desenhos energéticos e impecáveis.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Fritz Maison, Munique

Idioma

Título no Idioma Original

Tonhalle: Ausstellung von Arbeiten der in der Schweiz internierten deutschen Kriegsgefangenen

Tipo de Item

Descrição Física

1 exemplar (cartaz): litografia colorida; 124 x 90 centímetros

Referências

  1. Hans Kuh, “Hohlwein, Ludwig,” Neue Deutsche Biographie (Berlin: Duncker & Humblot, 1952–2008).
  2. Alain Weill, The Poster: A Worldwide Survey and History (Boston: G.K. Hall, 1985).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 19 de julho de 2017