Perguntas de Askiyah e Respostas de al-Maghili [Tratado sobre Política de al-Maghili]

Descrição

Timbuktu, fundada em torno de 1100 como um centro comercial para negócios através do deserto do Saara, era também uma importante sede de aprendizagem islâmica, do século XIV em diante. As bibliotecas de Timbuktu contêm muitos manuscritos importantes, em diferentes estilos de escrita árabe, que foram escritos e copiados por escribas e acadêmicos de Timbuktu . Estas obras constituem a mais famosa e duradoura contribuição da cidade às civilizações islâmica e mundial. Este tratado é sobre o Império Songai, que floresceu na África Ocidental, durante os séculos XIV e XV. Consiste nas respostas a sete perguntas feitas, ao autor, pelo imperador de Songai. O autor diz ao imperador que ele é obrigado a aplicar rigorosamente a lei islâmica na gestão dos assuntos econômicos e políticos do império. A fim de fazê-lo corretamente, ele é informado de que precisa procurar o conselho de acadêmicos religiosos.

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

أسئلة إسكيا وأجوبة المغيلى

Tipo de Item

Descrição Física

Manuscrito, 42 páginas

Observações

  • Título alternativo: Direito e política no Império Songai
  • Askiyah foi a terceira e última dinastia do Império Songai. Sucedeu as dinastias Dia e Sonni, ou Sunni, consecutivamente.
  • Al-Maghili foi um clérico controverso. Sua campanha para expulsar os judeus da sua cidade natal, Tlemcen, na parte noroeste da Algéria, e sua interpretação rígida e puritana do Islã, fez dele um instigador. Mesmo assim, outros acadêmicos mulçumanos dão-lhe o crédito de ter sido uma figura inovadora. Acredita-se que a sua migração para o sul de Timbuktu foi devida à sua decepção com os governantes muçulmanos da época e ao ''fracasso'' dos mesmos em implementar a sharia, além do seu desejo de se voltar para uma audiência mais receptiva às suas concepções.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 18 de setembro de 2015