Planisfério terrestre mostrando a longitude

Descrição

Esta projeção do mapa-múndi polar de 1696, feita por Jacques Cassini (1677-1756), é uma réplica e a única representação existente do grande planisfério de 7,80 metros de diâmetro feito por seu pai, Jean-Dominique Cassini (1625-1712). Como primeiro diretor do Observatório de Paris, o pai de Cassini desenhou o planisfério no chão de uma das torres do observatório, por meio de observações astronômicas realizadas por correspondentes da Academia de Ciências. O mapa mostra 43 localidades, de Quebec a Santiago, de Goa a Pequim, cada uma delas marcada com uma estrela, com latitudes medidas com precisão, usando um método que se baseava na observação das luas de Júpiter. As medições longitudinais do mapa são menos precisas, em função da determinação da longitude permanecer problemática até a instalação de cronômetros marítimos a bordo dos navios, na segunda metade do século XVIII. Seu significado era que eles pudessem medir com precisão o momento em um meridiano conhecido quando fora da vista da Terra, e então poderia ser usado para determinar a longitude baseada na rotação da Terra. O mapa também mostra incertezas em relação às fronteiras do norte da Ásia e da América, que persistiram até a descoberta do estreito de Bering em 1728. O mapa pertence à coleção do geógrafo Jean-Baptiste Bourguignon d'Anville (1697-1782). Foi dado ao rei Luís XVI em 1782 e depositado na Biblioteca Nacional da França em 1924.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Jean-Baptiste Nolin, Paris

Idioma

Título no Idioma Original

Planisphère terrestre ou sont marquées les longitudes

Lugar

Outras Palavras-Chave

Tipo de Item

Descrição Física

55 x 55 centímetros

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 22 de setembro de 2014