Mineração de nitrato, Chile

Descrição

Esta fotografia que mostra a mineração de nitrato de sódio no Chile, na primeira metade do século XX, é parte da Coleção de Frank e Francis Carpenter na Biblioteca do Congresso. Frank G. Carpenter (1855-1924) foi um escritor americano de livros sobre viagens e geografia mundial, cujas obras ajudaram a popularizar a antropologia cultural e a geografia dos Estados Unidos nos primeiros anos do século XX. Composta de fotografias tiradas e reunidas por Carpenter e sua filha Frances (1890-1972) para ilustrar seus escritos, a coleção inclui um número estimado em 16.800 fotografias e 7.000 negativos em vidro e filme. O nitrato de soda, mais conhecido como nitrato de sódio (NaNO3), é um sal utilizado como fertilizante e como matéria-prima na fabricação de pólvora. O Chile começou a exportar nitrato de sódio para a Europa na década de 1820. De acordo com o livro Manual de geografia de Carpenter: América do Sul (1899), o nitrato de sódio encontrado no deserto tinha tanto valor que cidades cresceram “nessa costa infecunda, habitada pelas pessoas que coletavam o nitrato de soda e o preparavam para a venda”. O processo de mineração, conforme descrito por Carpenter, era o seguinte: “Para retirar a rocha de nitrato, um buraco de aproximadamente 30 cm é feito através da areia, rochas salinas e nitrato até a terra macia no fundo. Um garoto é colocado no buraco. Ele cava a terra logo abaixo do estrato de nitrato e enche de pólvora, inserindo um rastilho que se estende até o topo. Em seguida, o garoto é retirado do buraco e o rastilho é acendido. Ocorre uma explosão barulhenta. Uma nuvem de fumaça amarela e poeira sobe pelo ar, e a terra fica em pedaços ao longo de uma área ampla. Em seguida, a rocha de nitrato é coletada com picaretas e pés de cabra”.

Última Atualização: 11 de maio de 2015