Declaração ao Mundo por Agustin de Iturbide ou Ante Observações para a História

Descrição

Este manuscrito, manchado de sangue e descoberto entre a faixa e a camisa de Agustín de Iturbide após sua execução pelo esquadrão de fuzilamento na Cidade do México, em 19 de julho de 1824, é uma defesa emocional da carreira pública de Iturbide. Um ex oficial monarquista que aderiu à luta pela independência mexicana, Iturbide foi coroado imperador do México em 21 de maio de 1822, sob o nome de Agustín I. No entanto, ele foi incapaz de conquistar a paz e abdicou, em 19 de março de 1823 e foi para o exílio. Sem saber que ele havia sido declarado traidor e fugitivo, ele retornou ao México em 14 de julho de 1824, onde foi detido e executado na aldeia de Padilla, no atual estado de Tamaulipas. Este manifesto foi escrito por Iturbide durante seu exílio na Itália e é dirigido ao embaixador britânico. "Não tenho a presunção dos literatos, nem o orgulho que, muitas vezes, se atribui àqueles em posições similares àquela que eu deixei; meu desejo é, apenas, responder honestamente aos meus detratores, que me caluniam, bem como àqueles que se opõem a sentimentos tais como o amor pela humanidade, a reverência ao meu país e o desejo pela ordem, juntamente com o desejo de expulsar do meu país a escravidão e ignorância que lá subsistem."

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

Manifiesto al mundo de Agustín de Iturbide o sean apuntes para la historia

Tipo de Item

Descrição Física

Tinta sobre papel, 25.2 x 20.5 centímetros

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 18 de setembro de 2015