Sobre manutenção de uma loja: um guia para preparação de pedidos

Descrição

Esta obra, extremamente informativa, compilada por um farmacêutico judeu do Cairo, no século XIII, oferece informações ricas sobre seu ofício, conforme era praticado na época. O autor, Abu al-Munā Ibn Abī Nasr Ibn Hafāż, conhecido como Cohen al-Isra’ī'lī al-Hārūnī, finalizou a obra em 1260 (658 AH), logo após o saque mongol de Bagdá em 1258, um evento que repercutiu em todo o mundo árabe. O manuscrito contém notas do autor, passadas ​​para seu filho e descendentes, que deveria assumir a botica após sua morte. A folha de rosto contém informações sobre o preço das especiarias, porém podem ter sido adicionadas no momento que a obra foi copiada e, portanto, podem não refletir com precisão os preços do Cairo do século XIII. Os 250 fólios que se seguem são divididos em 25 capítulos, e fornecem receitas detalhadas para o preparo de uma variedade de poções, infusões, comprimidos e outros tipos de medicamentos. Partindo da idéia central da necessidade de manter e, sempre que necessário, restaurar o equilíbrio entre as quatro "naturezas" básicas do corpo humano, o tratado abrange tanto os fundamentos do tratamento quanto as artes que um farmacêutico especialista iria necessitar na prática, sem pressupor um aprendizado. Um médico chamado Shaykh Sadīd ibn Bayān, que pode ter sido um quase contemporâneo de Abu al-Munā, já havia preparado um guia para uso em hospitais al-Dustur al-Maristani (O guia de Maristani), que continha algumas informações sobre o ofício do boticário, ou a arte dos aromas e das poções. Abu al-Munā nota que o exemplar do livro de Sadīd foi destinado aos médicos especialistas, e não aos não-iniciados. Ao referir-se ao Man la yahduruhu al-tabīb (Manual médico para pessoas sem acesso ao médico), de Abū Bakr Muhammad ibn Zakariyā al-Razi’s, famoso nos séculos IX e X, Abu al-Munā declara sua intenção de reunir o conteúdo de obras relacionadas, que já eram do seu conhecimento, e ampliá-las, acrescentando suas próprias observações e conclusões. Ele discorre sobre especiarias simples e compostas, e orgulhosamente afirma que nenhum livro sobre o assunto até então tinha conseguido o que conseguiu em seu tratado. A ênfase neste texto do século XIII, sobre ensaio empírico e experimentação, é muito significativa para a história da ciência.

Última Atualização: 25 de maio de 2012