Escultura Monumental de Jaguar

Descrição

Esta escultura de cerâmica amarelada pintada foi feita ao sul de Veracruz, no México, em 600-900 AD, ou  no Último Período Clássico da Civilização Mesoamericana. Os estudiosos tradicionalmente definem a Mesoamerica como uma região cultural compreendendo os países modernos do México, Guatemala, Belize, Honduras Ocidental e el Salvador. Sua história é dividida em Período Arcaico (circa 12,000-1500 BC), Período Pré-Clássico ou Formativo (circa 1500-200 AD), Período Clássico (circa 200-900 AD) e Período Pós-Clássico (circa 900-1500 AD). O jaguar tropical era uma criatura sagrada importante em grande parte da Mesoamérica, cujos povos acreditavam que eles possuiam os espíritos acompanhantes do animal ou co-essências. Estas formas animais ou compostas eram frequentemente retratadas através de vários meios artísticos. Nesta escultura, a modelagem do corpo é mais humana do que felina, conotando a divinização do animal. Os jaguares eram os mecenas e protetores especiais dos reis, bem como divindades que representavam o sol no seu aspecto noturno. Muitos reis maias escolhiam o nome "Balam", que significa "jaguar", quando subiam ao trono. Esta escultura, em particular, é pouco comum por tratar-se de uma figura de corpo inteiro. Originalmente, ela pode ter ladeado o trono de um lorde ou rei maia.

Última Atualização: 22 de março de 2016