Ilha Margarida, Budapeste, Hungria, Austro-Hungria

Descrição

Esta impressão fotocrômica, do final do século XIX, é de "Vistas do Império Austro-Húngaro", no catálogo da Detroit Publishing Company. Ela retrata um elegante edifício na Ilha Margarida (Margitsziget, em húngaro), uma ilha longa de 2,5 quilômetros, no Rio Danúbio, em Budapeste central. De acôrdo com Áustria, Incluindo Hungria, Transilvânia, Dalmácia e Bósnia (1900), de Baedeker, a ilha era "de propriedade do Arqueduque José, que a converteu, desenbolsando alguns milhões de florins, em um parque deveras encantador." A Ilha Margarida recebeu esse nome em homenagem à Santa Margarida (1242-70), filha do rei Béla IV, o qual fundou um convento de freiras na ilha e prometeu enviar sua filha, a princesa Margarida, para o convento, se ele conseguisse reconstruir seu país após a invasão dos mongóis. A Detroit Photographic Company foi fundada como empresa de publicação fotográfica no final da década de 1890, pelo empresário e editor William Al Livingstone, Jr, de Detroit, e pelo fotógrafo e editor de fotos Edwin H. Husher. Eles obtiveram direitos exclusivos para utilizar o processo "Photochrom" suíço para conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas e imprimí-las por fotolitografia. Este processo permitiu a produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda no mercado americano. A empresa transformou-se na Detroit Publishing Company em 1905.

Data do Assunto

Informação da Publicação

Detroit Publishing Company, Detroit, Michigan

Idioma

Título no Idioma Original

Margaret's Isle, Budapest, Hungary, Austro-Hungary

Tipo de Item

Descrição Física

1 impressão fotomecânica: fotocromo, cor

Observações

  • A Companhia Fotográfica de Detroit foi lançada como uma editora de fotografia na década de 1890 pelo empresário e editor de Detroit William A. Livingstone, Jr., e pelo fotógrafo e editor de fotografia Edwin H. Husher. Eles obtiveram o direito exclusivo de usar o "Fotochromo", o processo suíço de conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas, e imprimi-las por fotolitografia. Este processo inovador foi aplicado na produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda ao mercado americano. A empresa tornou-se a Detroit Publishing Company em 1905.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 4 de setembro de 2013