Carruagem Norueguesa, Fiorde Hardanger, Noruega

Descrição

Esta impressão fotocromática, de uma menina norueguesa em uma carruagem no Fiorde Hardanger, na Noruega, faz parte de "Paisagens Terrestres e Marítimas da Noruega" do catálogo da empresa Detroit Photographic Company. Em seu Espiada em Muitas Terras: Noruega (1909), o escritor de viagens britânico A.F. Ferryman-Mockler observou que "tudo o que é grandioso, tudo o que é belo, encontra-se no Hardanger". O fiorde, localizado no sul da Noruega, tem aproximadamente cinco quilômetros de largura no seu centro e mais de 650 metros de profundidade em alguns lugares. O fiorde é cercado por montanhas cobertas de abetos. A jovem aqui, vestida com a tradicional bunad de Hardanger, está sentada em uma charrete tipicamente norueguesa, uma carruagem de duas rodas puxada por um cavalo, adequada para um único ocupante. Este tipo de carruagem era uma forma popular e barata de viajar pelas estradas da Noruega no início da década de 1900. A Detroit Photographic Company foi fundada como empresa de publicação fotográfica no final da década de 1890, pelo empresário e editor William Al Livingstone, Jr, de Detroit, e pelo fotógrafo e editor de fotos Edwin H. Husher. Eles obtiveram direitos exclusivos para utilizar o processo "Photochrom" suíço para conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas e imprimí-las por fotolitografia. Este processo permitiu a produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda no mercado americano.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Detroit Publishing Company, Detroit, Michigan

Título no Idioma Original

Norwegian Carriage, Hardanger Fjord, Norway

Tipo de Item

Descrição Física

1 impressão fotomecânica: fotocromo, cor

Observações

  • A Companhia Fotográfica de Detroit foi lançada como uma editora de fotografia na década de 1890 pelo empresário e editor de Detroit William A. Livingstone, Jr., e pelo fotógrafo e editor de fotografia Edwin H. Husher. Eles obtiveram o direito exclusivo de usar o "Fotochromo", o processo suíço de conversão de fotografias em preto-e-branco em imagens coloridas, e imprimi-las por fotolitografia. Este processo inovador foi aplicado na produção em massa de cartões postais coloridos, gravuras e álbuns para venda ao mercado americano. A empresa tornou-se a Detroit Publishing Company em 1905.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 19 de setembro de 2013