África Oriental Alemã como uma Região de Colonização para os Europeus, Levando em Consideração a África Oriental Britânica e a Niassalândia

Descrição

Quando a Alemanha Imperial iniciou a criação de um império ultramarino no final do século XIX, muitos alemães influentes procuravam imitar o exemplo da Grã-Bretanha, que havia construído seu grande e poderoso império, em parte, pela promoção de assentamentos de imigrantes das Ilhas Britânicas nos territórios controlados pela Brã-Bretanha em outras partes do mundo, incluindo a África Oriental e a África do Sul. A Alemanha declarou um protetorado da África Oriental, em 1885, e estabeleceu a colônia da África Oriental Alemã (atual Tanzânia, Ruanda e Burundi), em 1891. Em 1908, Friedrich von Lindequist, subsecretário do escritório colonial alemão, liderou uma comissão para as terras altas da África Oriental Alemã para estudar a viabilidade de expansão da colonização da Alemanha na colônia. O relatório de Lindequist comparou as condições da África Oriental Alemã com as da África Oriental Britânica (atual Quênia) e da Niassalândia (atual Malawi), e concluiu que os colonos alemães poderiam prosperar em regiões situadas a 1200-2000 metros acima do nível do mar. O relatório foi publicado em 1912 e serviu de modelo para uma série de estudos sobre as lições aprendidas com a colonização europeia em várias regiões tropicais do mundo. Nenhum desses planos de expansão da colonização prosperou, no entanto, tendo em vista que a Alemanha logo perdeu todas as suas colônias em decorrência da Primeira Guerra Mundial.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Duncker and Humblot, Munique e Leipzig

Idioma

Título no Idioma Original

Deutsch-Ostafrika als siedelungsgebiet für Europäer, unter berücksichtigung Britisch-Ostafrikas und Nyassalands

Tipo de Item

Descrição Física

ix, 114 páginas : mapas dobrados; 23 centímetros

Observações

  • Da série: Schriften des Vereins fur sozialpolitik, e série: Die ansiedelung von Europa ern in den tropen.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 4 de março de 2016