Crônica do mundo

Descrição

Em sua versão original, a Weltchronik (Crônica do mundo) de Jans Enikel (1230 a 1290) sobrevive em apenas alguns poucos manuscritos, a maioria deles contendo um texto alterado em que a Crônica de Enikel foi mesclada com outras crônicas do mundo daquela época. Neste manuscrito, o texto abreviado da obra de Enikel é interrompido por vários excertos tirados da Christherre-Chronik (Crônica de Christherre). Esta crônica métrica, escrita em duas colunas ao longo de 287 fólios, está incompleta, com várias folhas faltando no início e no final do códice. Ela pertenceu ao monastério franciscano em Munique, até sua dissolução em 1803. A Crônica é ilustrada com desenhos à tinta colorida, normalmente sobre um plano de fundo retangular de cor neutra, muitas vezes diretamente sobre o pergaminho. O processo de produção envolveu duas pessoas. As figuras feitas pelo segundo artista (do anverso da folha 22 em diante) vão bastante além da moldura e, frequentemente, se estendem até as bordas das folhas. Elas são pintadas em cores vivas e são caracterizadas, apesar de execução um pouco rudimentar, por grande vivacidade. Elas não mostram qualquer vínculo direto com os ciclos mais antigos e crônicas mundiais bávaro-austríacas. Também estilisticamente estas pinturas representam, tendo em vista sua conexão com o estilo internacional do início do século XV, uma nova fase na tradição. A iluminação do manuscrito pode ter sido continuada em 1420, após uma breve interrupção. Naquele momento, o texto já havia sido copiado e as primeiras ilustrações executadas.

Última Atualização: 16 de novembro de 2017