Atlas portulano de Battista Agnese

Descrição

Este atlas portulano é atribuído a Battista Agnese (de 1514 a 1564), um dos mais importantes cartógrafos do Renascimento italiano. De origem genovesa, Agnese trabalhou em Veneza de 1536 até sua morte. É provável que ele tenha administrado uma gráfica completa, onde seus mapas eram produzidos. Ele criou cerca de 100 atlas manuscritos, dos quais mais de 70 ainda existem, sejam com sua assinatura, sejam atribuídos ao seu estúdio. Considerados obras de arte por sua qualidade e beleza, a maior parte de seus atlas são portulanos, ou náuticos, impressos em pergaminho para oficiais de alta patente ou comerciantes ricos, e não para o uso em alto-mar. Os atlas que apresentamos aqui contêm tabelas de declinação, uma esfera armilar e o zodíaco, além de mapas que registram: os litorais leste e oeste da América do Norte; o Oceano Atlântico e o oeste da Arábia até a especulada costa leste da América do Sul; a região que vai da África ao sudeste Asiático; a Europa Ocidental; a Espanha e o norte da África; o Mediterrâneo (vários mapas); o Mar Negro; e a região em torno da Grécia e da atual Turquia. Elemento característico dos atlas de Agnese, aqui também apresentamos um mapa-múndi oval com querubins, ou cabeças de vento, em nuvens azuis e douradas, representando os 12 pontos cardiais clássicos, que deram origem às direções da bússola moderna. Este manuscrito foi produzido para o cardinal Guido Ascanio Sforza di Santa Fiora (de 1518 a 1564), cujo brasão aparece no fólio 1, reto. A encadernação tem uma pequena bússola coberta por um disco de vidro embutida na cártula. A forma como o mundo conhecido é representada, uma projeção oval com linhas paralelas equidistantes, passou a ser amplamente usada mais tarde, principalmente graças ao cartógrafo, engenheiro e astrônomo piemontês Giacomo Gastaldi (por volta de 1500 a aproximadamente 1565) e ao cartógrafo flamengo Gerardus Mercator (de 1512 a 1594). Este atlas pertenceu a Vítor Emanuel II, rei da Sardenha de 1849 a 1861 e o primeiro rei da Itália unificada, de 1861 até sua morte em 1878.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

Portolano

Lugar

Tipo de Item

Descrição Física

15 fólios (12 mapas): pergaminho; 20,6 x 13,8 centímetros

Referências

  1. Maria Rosaria Manunta, “Schede,” in Biblioteca Reale Torino, edited by Giovanna Giacobello Bernard (Florence: Nardini, 1990).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 17 de maio de 2017