Diário do USS “Ossipee”, a transferência do Alasca da Rússia para os Estados Unidos

Descrição

O Ossipee era um navio da Marinha dos Estados Unidos construído pelo estaleiro de Portsmouth, em Portsmouth, New Hampshire, lançado em 16 de novembro de 1861, e colocado em operação no dia 6 de novembro de 1862. Depois de servir com a marinha da União durante a Guerra Civil, ele foi desativado em julho de 1865. O navio foi reativado em outubro de 1866, sob o comando do Capitão George F. Emmons, e naquele mesmo mês navegou da Filadélfia até o Atlântico. Aqui apresentamos o registro do navio nos períodos de 27 de outubro de 1866 à 31 de dezembro de 1867. Ele contém entradas diárias, pedidos, relatórios, listas da tripulação, mapas e artigos de jornais relativos à viagem e aos lugares visitados. Começando pela costa leste dos Estados Unidos, o Ossipee prosseguiu para as Ilhas do Cabo Verde e Canárias, de lá foram para o Rio de Janeiro no Brasil, e depois em direção ao Sul, atravessando o Estreito de Magalhães. Depois, subiu pela costa leste do Chile até Valparaiso, navegou para Callao no Peru e continuou até São Francisco. Lá, em setembro de 1867, recolheu comissários russos para estarem presentes na cerimônia realizada em 18 de outubro de 1867, onde o Alasca foi formalmente transferido para os Estados Unidos. O Ossipee partiu de São Francisco dia 27 de setembro de 1867, e continuou para Vancouver e depois para Sitka. O navio posteriormente permaneceu em serviço nas águas do Alasca. As páginas do diário estão numeradas, e as cerimônias de transferência estão descritas nas páginas 147-48. O diário oferece diversos conhecimentos sobre a vida em um navio de guerra em meados de 1800. As listas da tripulação, no início do diário, são notáveis pelo grande número de deserções e ações disciplinares registradas. O volume inclui fotografias de Emmons e do Ossipee e alguns apêndices, incluindo um que contém as ordens do Secretário da Marinha Gideon Welles para o Contra-almirante H.K. Thatcher a respeito do transporte de comissários russos e americanos para Sitka. Um outro apêndice consiste em um relatório feito para Emmons por um de seus oficiais a respeito dos ferimentos sofridos pelos membros da tripulação no vendaval de Sitka, em 27 de outubro de 1867.

Última Atualização: 5 de setembro de 2017