Sargento Arnold Hoke persegue alemães além do rio Meuse, recebido pelos franceses

Sargento Arnold Hoke persegue alemães além do rio Meuse, recebido pelos franceses

Descrição

Arnold Stephen Hoke serviu na Guarda Nacional de Iowa entre fevereiro de 1916 e agosto de 1917, quando entrou para o exército regular dos EUA. Como membro da Guarda Nacional, ele participou da Campanha Mexicana de 1916 a 1917. No exército ele foi designado para servir na Companhia M de Infantaria com Metralhadora do 168º Regimento de Infantaria, parte da 42ª Divisão de Infantaria. Hoke foi promovido a cabo em 1º de novembro de 1917, e por volta dessa data enviado à França partindo de Halifax, na Nova Escócia. Em 4 de abril de 1918 ele foi promovido a sargento. Em 1971, Hoke e sua esposa, Clara Hoke, decidiram gravar suas memórias da Grande Guerra. Como tantos outros soldados, Arnold Hoke foi empurrado para a guerra de trincheiras na França sem saber o que esperar e inicialmente desarmado. Ele testemunhou cada batalha importante de que o exército americano participou durante a Primeira Guerra Mundial, incluindo as ofensivas de Champagne-Marne e Aisne-Marne, a Batalha de Saint-Mihiel e a Ofensiva de Meuse-Argonne. Suas descrições objetivas das trincheiras, dos homens perdidos e da aleatoriedade de quem vivia e quem morria formam uma lembrança oportuna do verdadeiro custo da guerra. Aqui apresentamos um trecho das gravações feitas por Arnold Hoke em 1971. As gravações são mantidas nas coleções do Projeto da História dos Veteranos do Centro da Cultura Popular Norte-Americana na Biblioteca do Congresso, que coleta, preserva e disponibiliza relatos pessoais de veteranos de guerra americanos.

Última Atualização: 14 de novembro de 2017