Álbum de recortes de Richard Thomas Crump, Companhia G, Terceira Infantaria

Descrição

Pouco se sabe sobre a vida de Richard Crump, além daquilo que podemos extrair do meticuloso álbum de recortes que ele montou para documentar seu serviço durante a Primeira Guerra Mundial como motorista de ambulância. O álbum começa a partir de seus dias livres durante o período de treinamento, apresentando um grupo de amigos, usando uniformes impecáveis e veículos e equipamentos novos, e vai até o norte do devastado interior francês na região de Saint-Sulpice e Wailly. A julgar pelas diversas fotografias que Crump tirou de prédios reduzidos a escombros por bombardeios alemães, ele claramente ficou fascinado pela destruição de cidades como Dammartin e Remiencourt. Suas fotografias também registraram a vida nas trincheiras de Cottenchy e Vézaponin. Além disso, Crump nos mostra imagens de assuntos muitas vezes negligenciados em relação ao modo como a guerra era conduzida, incluindo prisioneiros de guerra alemães, aldeões franceses e a devastação deixada no rastro dos combates. As fotografias retratam o interior francês repleto de lixo abandonado, de fragmentos de leve artilharia a destroços de tanques, trens e aviões. As fotografias de Crump das ambulâncias também mostram como a realidade da guerra era diferente de sua experiência no treinamento. Em contraste com os veículos novos vistos no início do álbum, a ambulância de Crump, facilmente reconhecida pela insígnia do “Diabo Azul” (um símbolo dos famosos soldados franceses conhecidos como Alpins Chasseurs), é um pouco mais que a armação de um veículo, com sua lona rasgada e uma estrutura improvisada. O álbum de recortes de Crump é mantido nas coleções do Projeto da História dos Veteranos do Centro da Cultura Popular Norte-Americana na Biblioteca do Congresso, que coleta, preserva e disponibiliza relatos pessoais de veteranos de guerra americanos.

Última Atualização: 14 de novembro de 2017