Diário de George S. Patton, de 1º de janeiro a 16 de março de 1919

Descrição

O general George S. Patton (de 1885 a 1945), que ganhou fama na Segunda Guerra Mundial como comandante do Terceiro Exército dos EUA, foi um jovem oficial durante a Primeira Guerra Mundial. Ele foi à França em maio de 1917 com o general John J. Pershing, comandante-em-chefe das Forças Expedicionárias Americanas (AEF), servindo com patente de capitão como comandante do quartel-general e ajudante de ordens do general Pershing. Mais tarde Patton foi transferido para a nova Unidade de Tanques em formação pelo exército dos EUA. Promovido a major, ele recebeu ordens para organizar o Centro de Tanques Americano em Langres, na França. Em março de 1918, Patton foi promovido a tenente-coronel e nomeado para comandar a 304ª Brigada de Tanques, que liderou na Batalha de Saint-Mihiel em meados de setembro e durante a Ofensiva Meuse-Argonne iniciada em 26 de setembro. Ele foi ferido no primeiro dia desta última ofensiva e passou o restante da guerra no hospital. Aqui apresentamos os três volumes dos diários de Patton, começando em maio de 1917 com os preparativos de sua ida à França, e encerrando em março de 1919 com sua chegada ao Porto de Nova York. Para cada volume produzido por Patton há também um texto datilografado do volume. Os registros fornecem uma visão sobre um período em formação no desenvolvimento de Patton como um dos grandes comandantes de tanques da história, e também revelam aspectos da sua personalidade complexa e animada. O registro final do diário de guerra de Patton, datado de domingo, 16 de março de 1919, diz: “Todo o trabalho com relatórios concluído ao meio-dia. Passamos o farol flutuante da Ilha Fire às 15:30. Canal de Ambrose às 18:00. Capitão Murray veio a bordo com instruções. Tenente Longstreth conseguiu licença para ver sua mãe, que está enferma (14 dias). O fim de uma guerra perfeita. Fini”.

Última Atualização: 14 de novembro de 2017